Arquivo de janeiro de 2011

21 de janeiro de 2011
Despertar dos remanescentes

(publicado no jornal Valor Econômico em 20/01/2011)

Não é de hoje que se sabe, se conta, se mede e se publica que o setor público no Brasil gasta muito e gasta mal. A larga e crescente receita dos governos em geral, garantida nos últimos anos – seja pelo aumento de taxas e alíquotas, seja pela expansão da atividade econômica -, acaba camuflando uma realidade torpe que só emerge nos momentos das grandes catástrofes.

Mais de 720 mortes e mais de 13 mil desabrigados são os números dramáticos, contabilizados até a tarde de ontem da tragédia da zona serrana do Rio. Deveriam envergonhar a qualquer homem ou mulher que exerce atividade pública no país.

Não há escape. O poder executivo, qualquer que seja a esfera da administração federal (União, estados ou municípios) é culpado do crime de desperdício de dinheiro. Seus representantes deveriam agir com a preocupação de limitar ao mínimo necessário as despesas com gente que fica trançando nos gabinetes, de um lado para outro, a carregar nos braços ofícios e pareceres que não significam nada. É um gasto que pesa para todos, mas que não tem nenhuma serventia. [ leia mais ]